Cenário já afeta valor da produção no país.

12/09/2014

Veja Também

O Ministério da Agricultura voltou a reduzir sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária do país em 2014. Em levantamento divulgado ontem, passou a prever R$ 441,8 bilhões, 0,1% menos que o projetado em agosto. Apesar do leve ajuste, o montante, 2% superior ao do ano passado, ainda representará um novo recorde histórico.

A correção foi determinada sobretudo pela piora do cenário para os preços dos grãos, que puxou para baixo a estimativa para o VBP das 20 principais lavouras cultivadas no país. Nessa frente agrícola, o ministério passou a prever, no total, R$ 288 bilhões, 0,4% menos que o projetado em agosto. Em relação ao cálculos do ministério para 2013, o novo número, que também será recorde, ainda apresenta alta de 2,4%.

No caso do VBP da pecuária, estimado com base nas cinco principais cadeias produtivas do segmento, o levantamento divulgado ontem aponta para R$ 153,8 bilhões, com aumentos de 0,3% na comparação com a previsão divulgada em agosto e de 1,2% sobre o ano passado. Ao contrário do que acontece com grãos como soja e milho, cujas cotações estão em queda nos mercados internacional e doméstico, por conta de ofertas mais confortáveis, os preços das carnes estão mais firmes, principalmente os da carne bovina, sustentados pela demanda aquecida e, agora, pelo início da entressafra do boi no país.

Mas, mesmo com a tendência de retração das cotações, a soja em grão permanecerá como o carro-chefe do agronegócio brasileiro, com VBP de praticamente R$ 96 bilhões em 2014, 6% superior ao de 2013. Os bovinos aparecem em segundo lugar no ranking do ministério, com R$ 67,9 bilhões (18,5% mais que em 2013), seguidos por cana (R$ 46,6 bilhões, queda de 4,8%), frango (R$ 41,5 bilhões, baixa de 16,6%) milho (R$ 35,3 bi, queda de 4,1%) e leite (R$ 25,4 bilhões, alta de 0,9%).

Fonte: Valor Econômico