De olho no Brasil.

02/10/2014

Veja Também

A russa PhosAgro, segunda maior produtora global de fertilizantes derivados do fosfato, informou ontem que espera elevar as exportações para o Brasil após a suspensão, pela Camex, da tarifa adicional de 6% que incidia sobre a entrada de seu fosfato diamônico (DAP), o fertilizante à base de fosfato mais produzido no mundo.

Em comunicado, o presidente da companhia, Andrey Guryev, afirmou que a decisão da Camex veio depois do envolvimento de diversos setores do governo russo na promoção dos interesses de Moscou. E que a queda da alíquota torna os produtos russos mais competitivos.

O mercado latino-americano é um dos mais importantes para a PhosAgro. A companhia exportou mais de 1,5 milhão de toneladas de fertilizantes para a região em 2013, ou 25% de seus embarques totais. Ao Brasil, foram 800 mil. A companhia planeja estabelecer sua própria "trading" na América Latina para vender diretamente seus produtos na região. (Assis Moreira, de Genebra)

Fonte: Valor Econômico