Preços agropecuários sobem 1,35% em janeiro, diz a FGV.

29/01/2015

São Paulo - Os preços dos produtos agropecuários no atacado subiram 1,35% em janeiro, após avançarem 1,23% em dezembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quinta-feira, 29, ao divulgar o IGP-M do mês, que avançou 0,76%. Já os preços de produtos industriais avançaram 0,26% ante a elevação de 0,40% no mês anterior.

Os preços dos bens intermediários subiram 0,51% em janeiro ante avanço de 0,69% na leitura de dezembro. Já a variação dos bens finais foi positiva em 1,57%, após alta de 1,05% no mês anterior. Na mesma base de comparação, os preços das matérias-primas brutas tiveram queda de 0,60% após subirem 0,05%, em dezembro.

O Índice de Preços ao Produtos Amplo (IPA) apresentou avanço de 0,56% em janeiro depois de elevação de 0,63% em dezembro. O IPA acumula aumento de 2,38% nos 12 meses até janeiro.

Matérias-primas

O grupo Matérias-Primas Brutas Finais, que passou de elevação de 0,05% para queda de 0,60% no período, teve forte participação no resultado do indicados em janeiro. No estágio inicial da produção, os principais responsáveis pela desaceleração foram milho em grão (de 9,75% para -0,49%), soja em grão (de 1,69% para -0,74%) e bovinos (de 3,59% para 1,00%).

O índice referente a Bens Intermediários dentro do IPA também apresentou desaceleração, ao sair de variação positiva de 0,69% em dezembro para alta de 0,51% no primeiro mês de 2015. O principal responsável pelo movimento foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura - a taxa de variação passou de 0,56% para 0,32% no período. Vale destacar que o índice de Bens Intermediários (ex), calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou alta de 0,48% em janeiro, contra avanço de 0,52%, em dezembro.

No âmbito do IPA, o índice relativo aos Bens Finais foi o único grupo a acelerar na passagem de dezembro para janeiro, ao passar de 1,05% para 1,57%. Influenciou no resultado o comportamento do subgrupo alimentos in natura, que passou de alta de 3,69% para elevação de 11,74%. O índice de Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, teve avanço de 0,59%, ante 0,73% em dezembro.

Principais influências

De acordo com a FGV, entre as maiores influências de baixa no IPA de janeiro estão minério de ferro (apesar do leve abrandamento da deflação, de -5,76% para -5,62%), laranja (de 0,65% para -7,46%), leite in natura (mesmo diminuindo o ritmo de queda, de -5,10% para -2,52%), farelo de soja (de 2,38% para -2,96%) e soja em grão (de 1,69% para -0,74%).

Já na lista de maiores influências de alta do IPA estão batata-inglesa (de 41,43% para 60,43%), feijão em grão (de 11,99% para 23,55%), mandioca (de 0,45% para 12,67%), bovinos (apesar da diminuição no ritmo de alta, de 3,59% para 1,00%) e óleo combustível (de 1,08% para 4,70%).

Fonte: R7.com