Husqvarna projeta forte aumento da produção no Brasil.

23/07/2014
Eloi Fernandes, vice-presidente de vendas e serviços: avanço na área agrícola.

Veja Também

A multinacional sueca Husqvarna, uma das maiores fabricantes de equipamentos para manejo de áreas verdes do mundo, planeja multiplicar por quase dez vezes sua capacidade de produção no Brasil até 2019 para fomentar a ampliação dos negócios em suas três principais áreas de atuação - agrícola, florestal e jardinagem.

Segundo Eloi Fernandes, vice-presidente de vendas e serviços da empresa para a América Latina, em cinco anos sua fábrica localizada em São Carlos, no interior paulista, será capaz de produzir, por ano, 1 milhão de unidades de diferentes tipos de equipamentos, entre os quais cortadores de grama, motosserras, tratores e roçadeiras. O executivo não informou os investimentos que serão realizados para a expansão da produção.

Com vendas em mais de 100 países, a Husqvarna está no Brasil desde 1978. Seu faturamento no país, que em 2006 foi de R$ 48 milhões, chegou a R$ 180 milhões no ano passado, e a expectativa é que alcance R$ 240 milhões em 2014. Com a ampliação anunciada, o objetivo é chegar a R$ 400 milhões em 2019, conforme Fernandes.

De acordo com ele, o avanço da companhia no mercado brasileiro se dará com o desenvolvimento dos negócios no chamado "setor profissional" - grandes empreiteiros com foco em parques e áreas verdes em rodovias, avenidas e condomínios, por exemplo -, e nos segmentos agrícola e florestal.

Essas duas últimas áreas de atuação respondem pela maior parte das vendas da companhia no país - cerca de 30% cada uma, informa Fernandes. Muitos produtos desenvolvidos para áreas verdes em geral têm tido aplicações também na agropecuária, em atividades ligadas ao cultivo de grãos, café e hortifrúti e mesmo em pastagens e avicultura.

É possível utilizar um motocultivador para remover os dejetos de aves, por exemplo, ou adaptar uma máquina fabricada inicialmente para podar cercas-vivas para cumprir a mesma função em pés de café. A área de café, por sinal, é uma das que puxam o avanço das vendas da empresa no segmento agrícola no Brasil.

De acordo com Fernandes, enquanto a receita total da Husqvarna cresceu 115% nos últimos três anos no Brasil, o faturamento dos negócios ligados ao café aumentou 250%. "E a expectativa para 2015 é crescer ainda mais".

Em parte, esse otimismo deriva da boa demanda por uma recém-lançada derriçadeira "em forma de mão" para auxiliar e reduzir custos na colheita de café, sobretudo em áreas montanhosas, segundo André Lobo Faro, diretor de vendas e serviços da companhia no Brasil.

Com 30% das vendas no mercado brasileiro concentradas na região Sudeste e boa presença também no Sul e no Centro-Oeste do país, a Husqvarna quer crescer ainda no Nordeste e no Norte como parte de seu plano de expansão nos próximos anos.

Em 2013, a companhia completou 325 anos. Iniciou suas atividades fabricando armas para o exército da Suécia, e com o passar do tempo começou a produzir "novidades" como máquinas de costura e de escrever, bicicletas e motocicletas. Na década de 1970, a companhia foi adquirida pela Electrolux, mas em 2006 foi desmembrada e se tornou independente, com ações listadas na bolsa de Estocolmo.

Fonte: Valor Econômico