Moinhos vão às compras e preço do trigo sobe, diz Cepea.

29/09/2015
Indicadores de referência para o trigo no Paraná e no Rio Grande do Sul acumulam altas de mais de 6% neste mês (Foto: Acervo/Ed. Globo).

Veja Também

nfluenciada pelo crescimento da demanda, a liquidez no mercado de trigo tem aumentado, informa, nesta terça-feira (29/9) o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Compradores brasileiros estão atentos à alta do dólar e problemas com a safra por causa das constantes chuvas no Paraná e Rio Grande do Sul.

“Moinhos estão adquirindo maiores quantidades de trigo a fim de garantir o cereal de boa qualidade disponível. Além disso, traders também estão mais presentes no mercado brasileiro, visando revenda futura a moinhos domésticos ou exportação”, diz o Cepea, em nota.

O indicador medido pela instituição, com base no estado do Paraná, acumula alta de 6,89% neste mês (até o dia 28). Nesta segunda-feira, a referência fechou cotada a R$ 689,94 por tonelada. O indicador com base no Rio Grande do Sul tem valorização de 6,25% no período, fechando a R$ 621,89 a tonelada na segunda-feira.

A valorização do cereal pressiona o custo dos moinhos, que já esperam redução de até 3% na moagem e no consumo de farinha de trigo neste ano. A situação adversa ainda é reforçada pela alta do dólar, que encarece as importações, das quais o Brasil ainda é bastante dependente.

De janeiro a agosto deste ano, as compras de trigo de outros países pelos moinhos brasileiros totalizou 3,34 milhões de toneladas, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo). O volume médio mensal no período foi de 418,6 mil toneladas. No acumulado dos oito primeiros meses do ano passado, foi de 522,2 mil toneladas. Só no mês passado, foram 327,4 mil toneladas, um volume 53,3% menor que o registrado em agosto do ano passado.

Fonte: REVISTA GLOBO RURAL